Ouça o áudio desse artigo

 34,764 Total de visualizações

Neste sábado a equipe atendeu, com um cilindro de 10m³ de oxigênio, uma idosa de 88 anos que adquiriu enfisema pulmonar.

Agentes da Defesa Civil do Amazonas realizaram, neste sábado (30), a reposição de
cilindro de oxigênio para mais um paciente em tratamento domiciliar. O serviço atende
pacientes que se recuperam em casa de diversas doenças que causam problemas
respiratórios.

“A família entra em contato conosco fazendo o acionamento para que a gente tente atender
essa demanda. Quando nós não temos o retorno da empresa (que fornece oxigênio), a
Defesa Civil, através do Comitê de Gestão de Crise, pega o cilindro reserva que nós temos
aqui, exatamente para atender essa demanda emergencial, e leva até as famílias”, detalhou o tenente Robson Almeida, da Defesa Civil.

Ele explica, ainda, que a reserva atende casos emergenciais em domicílio e nas unidades
de saúde, mediante permuta pelo cilindro vazio.

“Muitas vezes, na madrugada, nossas unidades também precisam dessa demanda
emergencial. A gente tem essa reserva técnica e faz esse atendimento tanto na demanda
das residências quanto nas unidades de saúde. Após o uso, pegamos o cilindro vazio e
fazemos a recarga”, concluiu o tenente.

Atendimento

Neste sábado a equipe atendeu, com um cilindro de 10m³ de oxigênio, uma idosa de 88
anos que adquiriu enfisema pulmonar e depende 100% do suporte respiratório. A ação
contou com o apoio do Grupo Suçuarana de Operações Socioambientais, voluntários em
ações emergenciais do Governo do Amazonas.

“Quero agradecer a todos da Defesa Civil, do Grupo Suçuarana. Vamos dar mais valor à
vida, porque hoje em dia está essa crise de cilindro de oxigênio. Ela tem câncer na mama,
enfisema pulmonar e coração grande, e necessita de um amparo de oxigênio. Não é só
Covid, tem outros tipos de doença que precisam de oxigênio”, alertou Paulo dos Santos,
genro da idosa.

A ação já atendeu, ao todo, 18 pacientes no mês de janeiro, sendo duas idosas e 16
crianças, que também são assistidas pelo programa “Melhor em Casa” da Secretaria de
Saúde do Estado (SES-AM).

(*) Com informações da assessoria

DEIXE SEU COMENTÁRIO