Ouça o áudio desse artigo

 123,841 Total de visualizações

Um vídeo que viralizou nas redes sociais mostra enfermeiros empurrando um paciente em uma maca para tentar desviar do engarrafamento quilométrico formado na BR-230, no município de Itaituba, no sudeste do Pará.

Segundo a prefeitura, pelo menos 5 mil carretas estão estacionadas em toda a extensão da via enquanto aguardam o acesso à ETC (Estação de Transbordo de Carga) do Tapajós, principal rota para o escoamento de commodities agrícolas na região, localizada no distrito de Miritituba.

Uma enfermeira precisou empurrar uma maca com uma paciente pela estrada de terra em trecho da rodovia transmazônica, no Pará, por causa de um bloqueio de caminhões na via nesta sexta-feira (12). O caso aconteceu entre 0km 30 e o distrito de Miritituba, em Itaituba, oeste do estado.

Dois caminhoneiros bloquearam o trecho, como forma de protesto por acidentes no trecho. Segundo uma funcionária do hospital Municipal de Rurópolis, uma ambulância transferia a paciente para o hospital regional do tapajós, em Itaituba, quando as duas carretas bloquearam a rodovia, impedindo a passagem do veículo.

Sem negociação com os caminhoneiros, uma enfermeira e o motorista da ambulância empurraram a maca com a paciente por cerca de dois quilômetros em trecho de terra até conseguir alcançar outro veículo para chegar ao Porto de Mirituba.

No Porto, uma ambulância socorreu paciente, ainda na balsa que faz a travessia para Itauba. A paciente foi internada e, segundo ós profissionais de saúde, está estável.

Em nota, a secretaria municipal de saúde de Itaituba confirmou que a equipe de profissionais de saúde foi impedida de passar na ambulância, que lamenta o episódio é que se solidariza com a equipe pelo ocorrido.

Segundo a prefeitura de Rurópolis, a cidade está com 2.570 casos confirmados de Covid e 31 mortes. Alguns dos casos mais graves do município foram levados para cidades vizinhas e para Belém.

Em Itaituba, são 8.049 casos positivos da COVID-19, com 150 mortos desde o início da pandemia.

A maioria das carretas saem do Mato Grosso e chegam na localidade por meio da BR-163. Informações preliminares indicam que um problema na ETC teria provocado a espera do lado de fora dos pátios das empresas que gerenciam o porto. A média de circulação diária de veículos de carga no Porto de Miritituba é de 500 carretas.

Ainda segundo a prefeitura, o paciente que aparece nas imagens saiu do município de Rurópolis para o Hospital Regional do Tapajós, em Itaituba. Diante da via fechada, os enfermeiros resolveram seguir a pé. Após algum tempo, a ambulância conseguiu seguir viagem.

No vídeo, enfermeiroa aparecem na margem da rodovia, tentando seguir com o paciente em cima de uma maca. Sem acostamento, o profissional fica parado diante do movimento das carretas, em fila tripla. Nas imagens, também é possível perceber a extensão do congestionamento.

VEJA O VÍDEO: 

DEIXE SEU COMENTÁRIO