Relembre os casos de filhos que assassinaram os pais no Amazonas

Ouça o áudio desse artigo

 127,293 Total de visualizações

MANAUS, AM – Uma discussão sobre corte de cabelo resultou no assassinato de um
homem 38 anos na noite da última segunda-feira (12), em Manaus. O suspeito
confessou ter assassinado a facadas a vítima, que era o próprio pai. Este é só mais
um dos casos onde filhos que assassinaram os pais chocam a sociedade pelo requinte
de crueldade.

A equipe de reportagem do Portal AM1 listou os principais casos de ocorrências de
filhos que assassinaram os pais e ganharam repercussão em Manaus, no Brasil e no
Mundo.

 

Caso Belota

Um dos casos mais brutais que ocorreu em Manaus foi o Caso Belota, em janeiro de
2013. O mandante do crime, Jimmy Robert, planejou o assassinato do próprio pai,
Roberval Roberto de Brito, 63, da tia Maria Gracilene Belota, 55, e da prima Gabriela, 26.
Uma herança de R$ 200 mil foi a motivação para cometer os assassinatos,
ou seja, um motivo fútil.

Além das três vítimas, o cachorro da família foi estrangulado durante a ação dos
criminosos. O animal foi amarrado pela coleira no armador da rede da residência. Em
outras palavras, o crime demonstrou o nível de crueldade dos assassinos. Jimmy havia
contratado Rodrigo de Moraes Alves e Ruan Pablo Bruno Cláudio Magalhães para
cometerem os assassinatos.

Gabriela morreu asfixiada com um saco plástico. A vítima ainda sofreu estupro. Os
corpos da mãe e da filha foram encontrados pela empregada um dia após o crime. Em
conclusão, ambas apresentavam sinais de estrangulamento.

Em depoimento à polícia, Jimmy afirmou que teria mágoas do pai. Para não levantar
suspeita, Jimmy decidiu matar a tia e a prima. Como resultado, ele retiraria de uma só
vez todos do processo da herança.

O corpo do pai de Jimmy foi encontrado na residência em que morava. As mãos da
vítima estavam amarradas e o corpo apresentava sinais de estrangulamento.

Todos os suspeitos confessaram a participação e, portanto, receberam a pena de 100
anos de prisão.

Com pé de cabra, filho mata a mãe e o irmão 

Outro caso de filhos que assassinaram os pais ocorreu em abril de 2011. Alcinei Gomes
da Silveira matou a mãe e o irmão utilizando um pé-de-cabra e uma faca.

O caso aconteceu no bairro São José, zona Leste de Manaus. No entanto, jovem tentou
assassinar o pai, porém, a vítima sobreviveu ao ataque. Segundo a polícia, Alcinei
matou primeiro o irmão de 13 anos. A vítima bebia água quando foi ferida com uma
arma branca.

Após assassinar o próprio irmão, o criminoso limpou a casa e atraiu a mãe para a
residência. Ele a matou no mesmo dia. Ainda na casa da família, à noite, o homem
tentou esfaquear o pai, que sobreviveu após imobilizá-lo.

A família não aprovava a orientação sexual de Alcinei, o que teria causado revolta no
rapaz. Como resultado, ele decidiu cometer os assassinatos. Ele foi condenado a 60
anos de prisão pelo crime de duplo homicídio e tentativa de homicídio.

Em janeiro de 2017, ele foi morto durante a chacina no Complexo Penitenciário Anísio
Jobim (Compaj). Antes de ser morto, ele e outros presos escreveram uma carta
denunciando o sistema de corrupção dentro do presídio. Supostamente, os diretores do
sistema carcerário recebiam dinheiro da facção Família do Norte (FDN).

Por dinheiro, jovem mata a própria mãe

Leonardo Natividade Freitas foi acusado de matar a mãe, de 60 anos, a facadas. O
crime ocorreu dentro da residência deles, em 2020. Após o crime, o suspeito roubou o
cartão que continha a quantia de R$ 400. A irmã do autor do crime informou à polícia
sobre a ocorrência. Depois disso, ele foi caçado pela polícia.

O assassinato foi presenciado pelo irmão mais novo dele que o viu chegar em casa.
Depois disso, o menino foi amarrado ao se recusar a dizer onde estava o dinheiro.
Leonardo ainda exigiu que o irmão mais novo dissesse à polícia que a morte teria sido
acidental.

Adolescente paga suspeitos para matarem o pai

Uma adolescente de 16 anos foi a mandante da morte do pai. A jovem pagou dois
suspeitos para invadir a casa do genitor e o esfaquear até a morte. Segundo a polícia,
por exemplo, a menor planejou o assassinato por uma semana.

Mesmo ferido, o homem conseguiu esfaquear um dos criminosos. Porém, ele não
resistiu aos ferimentos e morreu durante o atendimento médico em uma unidade de
saúde. O crime ocorreu em fevereiro de 2021, ou seja, é outro caso de filhos que
assassinaram os pais.

Segundo a polícia, em primeiro lugar, a jovem queria ter mais liberdade. Em segundo
lugar, ela fazia uso de drogas, no entanto, o pai não permitia o comportamento.

O pai, que era peixeiro, possuía uma quantia de R$ 7 mil na residência. Após o
assassinato, a adolescente se apossou do dinheiro e distribuiu para os criminosos.
Ainda segundo a polícia, a mãe da adolescente sabia do crime desde o planejamento.
Em qualquer caso, não se sabe se, de fato, houve a participação dela no crime.

Caso Von Richthofen

O assassinato do casal Von Richthofen, com certeza, foi um dos casos mais famosos
de todo o Brasil. O caso aconteceu em outubro de 2002. Suzane Von Richthofen
planejou, com o namorado e o irmão dele, um falso latrocínio na mansão da família
Richthofen Depois disso os pais da adolescente foram mortos com vários golpes na
Richthofen. Depois disso, os pais da adolescente foram mortos com vários golpes na
cabeça.

Para ter direito a herança da família, Suzane planejou o assassinato nos mínimos
detalhes. Acima de tudo, os pais dela eram contra o namoro da jovem com Daniel
Cravinhos.

Crime

Suzane e Daniel levaram o irmão, Andreas Richthofen, para uma lan house, onde
passou a noite jogando vídeo game. Após despistarem o garoto, o trio se encontrou e foi
em direção à mansão da família. No local, Suzane garantiu que os pais estivessem
dormindo para executar o crime.

Além disso, a polícia suspeitou dos depoimentos e viu que a execução não se tratava de
um caso comum de latrocínio. Segundo eles, as falas e o próprio local onde o casal foi
morto pareciam montagem. Ou seja, as investigações se direcionaram para as pessoas
mais próximas do casal morto.

Mesmo com as dúvidas, os depoimentos de Suzane, do namorado e do irmão dele,
pareceram convincentes para a polícia a princípio. Portanto, o que determinou a
suspeita contra eles foi a compra de uma moto por um dos participantes um dia após o
crime. Como resultado, a polícia acabou descobrindo todo o esquema criminoso.

Em novembro de 2002, o trio confessou a morte dos pais de Suzane e, como conclusão,
o casal recebeu a pena de 39 anos e 6 meses de prisão. Cristian recebeu 38 anos e 6
meses de cadeia.

 

Fonte: Portal AM1

DEIXE SEU COMENTÁRIO